Chat
Retornar

O que é medicina integrativa e como colocar em prática no consultório?

A medicina integrativa se manifesta por meio de tratamentos e abordagens complementares à medicina tradicional. Sem abrir mão do conhecimento científico clássico, adiciona aos tratamentos médicos convencionais outros tipos de práticas — desde que, comprovadamente, tragam benefícios à saúde dos pacientes. Por exemplo: uma pessoa em tratamento para o câncer pode se beneficiar de práticas como a meditação, acupuntura, yoga, musicoterapia, entre diversas outras.

Um ponto que já faz parte da medicina convencional também é acentuado na medicina integrativa: a relação de confiança entre profissional de saúde e paciente, com um atendimento individualizado. O foco não é apenas no tratamento de uma enfermidade específica, mas na saúde das pessoas como um todo. Mais do que o cuidado biológico, a saúde mental e emocional também é observada com grande atenção.

Neste artigo, vamos detalhar quais são os principais benefícios da medicina integrativa, como ela se manifesta na prática e de que maneira os profissionais de saúde podem se preparar para oferecer esse atendimento mais humanizado aos seus pacientes. Boa leitura!

Conheça 10 modalidades de medicina integrativa para o seu consultório

Diversas práticas fazem parte da medicina integrativa. No Brasil, inclusive, 29 diferentes modalidades compõem as Práticas Integrativas e Complementares (PICs) do Sistema Único de Saúde (SUS) — ou seja, são oferecidas como uma política pública focada na promoção do cuidado da população.

Saiba um pouco mais a respeito de 10 modalidades de medicina integrativa!

1. Acupuntura

A Medicina Tradicional Chinesa ou acupuntura envolve desde procedimentos diagnósticos (anamnese integrativa, com medição do pulso e inspeções da língua e da face, entre outras checagens) até medidas terapêuticas, como ventosaterapia, uso de plantas medicinais e práticas corporais e mentais.

2. Apiterapia

Consiste no uso de produtos derivados de abelhas (mel, própolis, entre outros) em tratamentos de saúde.

3. Ayurveda

De origem indiana, é colocada em prática por meio de massagens, técnicas respiratórias e de relaxamento, entre outras atividades. O cuidado com a alimentação e o uso de fitoterápicos também integra os tratamentos com ayurveda.

4. Cromoterapia

Com foco no equilíbrio saudável entre corpo e mente, a cromoterapia se baseia em tons quentes e frios do espectro solar para estimular vibrações e promover o autoconhecimento. São usados bastões de luz em partes específicas do corpo (com base na acupuntura) para o tratamento de problemas físicos ou emocionais.

5. Homeopatia

De acordo com o site do PICS, “a homeopatia envolve tratamentos com base em sintomas específicos de cada indivíduo e utiliza substâncias altamente diluídas que buscam desencadear o sistema de cura natural do corpo. Os medicamentos homeopáticos da farmacopeia homeopática brasileira estão incluídos na Relação Nacional de Medicamentos Essenciais (Rename)”.

6. Meditação

Entre seus objetivos estão o equilíbrio físico-emocional, a melhora do humor e, até mesmo, do desempenho cognitivo, por meio de um treinamento para direcionar o foco mental para pensamentos não analíticos.

7. Musicoterapia

A partir de elementos musicais, como melodia e harmonia, busca atender as necessidades de saúde de um indivíduo ou grupo — sejam elas corporais ou mentais.

8. Quiropraxia

Corrige a postura pela manipulação das articulações, aliviando dores e ajudando a prevenir novos problemas de saúde relacionados.

9. Terapia de florais

A partir de essências de flores, atua na busca por melhorar a qualidade de vida e a saúde mental e emocional. Criada pelo Dr. Edward Bach — conhecido pelos “florais de Bach” —, a terapia trata diversos problemas. Para o Dr. Bach, emoções como raiva e medo podem provocar desequilíbrio entre corpo e mente, o que causa doenças.

10. Yoga

Associada à meditação, a Yoga é uma técnica que prepara seus praticantes para terem um maior controle mental e corporal. Seus objetivos são diminuir o estresse, regular os sistemas nervoso e respiratório, aumentar a vitalidade e equilibrar o sono, entre outros.

Quais os principais benefícios da medicina integrativa?

A prática da medicina integrativa traz benefícios tanto para os pacientes quanto para os profissionais de saúde. Acompanhe!

Benefícios para os pacientes

Uma das principais vantagens da medicina integrativa para os pacientes é ter um atendimento mais personalizado por parte do profissional de saúde. Ao consultar um médico focado em entender o indivíduo como um todo — sua saúde física e emocional, suas condições de vida, seus hábitos e necessidades — é possível receber orientações que façam sentido e contemplem suas vivências de forma integral. É claro que a medicina tradicional também leva todos esses pontos em consideração, mas com a medicina integrativa, uma série de tratamentos complementares podem ser ministrados.

Ao ter acesso a esse cuidado completo com corpo e mente, o paciente passa a alcançar uma qualidade de vida mais satisfatória, já que o foco é na prevenção de doenças — o que, inclusive, pode provocar uma potencial redução do uso de medicamentos. Também é possível potencializar tratamentos de saúde com metodologias complementares, desde que tenham base científica.

Vantagens para os profissionais de saúde

Profissionais de saúde que praticam a medicina integrativa têm uma atuação mais direcionada à prevenção, o que garante mais qualidade de vida aos seus pacientes. Assim, eles tendem a ganhar a confiança das pessoas que procuram consultá-los, o que aumenta a fidelidade e as recomendações ao seu trabalho, potencializando a atração de novos pacientes a partir do sucesso clínico.

Mesmo em caso do surgimento de alguma doença, o profissional passa a ter maior embasamento para estabelecer diagnósticos e definir tratamentos, já que conhece mais profundamente a realidade do paciente e entende suas necessidades.

Como a medicina integrativa pode ser aplicada na prática?

Antes de colocar a medicina integrativa em prática, é fundamental se preparar para isso. Afinal, já existem cursos específicos para qualificação dos profissionais de saúde na área, inclusive de pós-graduação em importantes instituições de ensino.

Mas nem todas as práticas relacionadas a um atendimento mais integrado aos pacientes precisam ser realizadas em consultório. Há atividades complementares ao tratamento médico que podem ser feitas em outras instituições de saúde, hospitais e até mesmo em outros estabelecimentos. Como já falamos, aulas de dança, meditação, yoga e outras atividades também compõem a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC).

Ainda que nem todas as práticas de medicina integrativa ocorram no próprio consultório do profissional de saúde, estudar e se capacitar para fazer a gestão desses processos é essencial para garantir a qualidade e a eficácia dos tratamentos para os pacientes. Além disso, há uma série de diretrizes do PNPIC que precisam ser respeitadas pelos gestores de saúde.

O uso da tecnologia na gestão da medicina integrativa

Falando em gestão da medicina integrativa, contar com o suporte da tecnologia é fundamental para garantir esse atendimento mais personalizado que os pacientes tanto desejam. Um prontuário eletrônico que permita ao profissional de saúde registrar os dados clínicos e particularidades de cada caso ajuda muito nessa hora.

É muito difícil lembrar de cabeça todos os detalhes relativos ao cuidado oferecido a cada pessoa, e usar o antigo prontuário de papel torna inviável o registro e armazenamento de tantos dados. Assim, a dica é contar com uma plataforma segura, eficiente e que permita um atendimento personalizado de alta qualidade.

Chegamos ao fim deste artigo sobre medicina integrativa e esperamos que o conteúdo tenha sido útil para o seu trabalho como profissional de saúde. Afinal, os pacientes demandam cada vez mais atenção em suas consultas médicas e práticas alternativas (desde que somadas aos tratamentos convencionais) podem ajudar a oferecer um atendimento mais completo.

Será que você conhece outros profissionais de saúde que poderiam se interessar por esse tema? Então, compartilhe o post nas suas redes sociais e ajude a levar mais informação aos seus colegas!

Escrito por
Marketing Prontmed

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Marketing Prontmed
30/11/2021 13:24:40

Oi, Débora! Agradecemos seu comentário. Destacamos 10 das 29 Práticas Integrativas e Complementares (PICs) oferecidas gratuitamente pelo SUS, das quais tanto a fitoterapia quanto a terapia de florais fazem parte, por uma questão de espaço. Veja mais detalhes no link: https://antigo.saude.gov.br/saude-de-a-z/praticas-integrativas-e-complementares

Débora Andrade
23/10/2021 14:31:18

Não foi citado a fitoterapia, que é reconhecida. Pratica com florais não é fitoterapia