Resolução CFM 2299
Resolução CFM 2299
O Prontmed Hub está em conformidade com a Resolução 2.299 do CFM. Saiba mais em nosso blog
Fechar
Chat
Retornar

8 dicas para evitar as temidas glosas e manter as finanças em dia

Montar um belo consultório, laboratório, clínica ou outro estabelecimento de saúde e firmar bons convênios é um excelente caminho para médicos e outros profissionais da área terem uma carreira de sucesso. No entanto, podem surgir percalços ao longo da jornada. As glosas são algumas das pedras no sapato que mais incomodam quem atua na saúde.

De acordo com o Observatório 2021 da Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp), o índice de glosas no período foi de 4,10% da receita líquida dos hospitais privados brasileiros. Para evitar esse prejuízo, que pode representar milhões ao longo dos anos, é fundamental estar atento!

Neste artigo, detalhamos os tipos de glosas e trazemos dicas para fugir delas. Vem com a gente!

O que são glosas médicas e hospitalares?

Como você deve saber bem, as glosas são atendimentos em saúde — desde consultas até a realização de exames, cirurgias, aplicação de medicamentos e internações, entre outros procedimentos — que não receberam pagamento por parte das operadoras de saúde.

Geralmente, esses faturamentos não ocorrem por falhas de comunicação entre consultórios, laboratórios, clínicas ou hospitais e os responsáveis pelos convênios médicos, ou ainda por uma não conformidade nos processos.

Esse é um problema bastante recorrente e que causa uma série de prejuízos, que vão desde o retrabalho para que a comunicação ocorra da forma correta entre as partes envolvidas, atrasos nos pagamentos e, em situações mais extremas, até mesmo a não remuneração do serviço prestado.

Quais os principais tipos de glosas e suas causas?

As glosas são divididas em três tipos, que explicaremos a seguir. Acompanhe!

Administrativa

A glosa administrativa ocorre em função de erros cometidos pelos profissionais envolvidos no atendimento aos pacientes. Geralmente são dados que foram preenchidos de forma incorreta, falta de alguma informação essencial para que a operadora repasse o pagamento aos profissionais de saúde que prestaram o serviço ou similar.

Geralmente, esse tipo de glosa costuma ser resolvido com facilidade, já que basta corrigir a informação errada. Porém, provoca atrasos no faturamento.

Técnica

Já as glosas técnicas são um pouco mais complexas. Elas ocorrem quando há um entendimento por parte da operadora de saúde de que houve um erro na realização de um procedimento médico.

Elas não ocorrem com tanta frequência, no entanto, sempre que há necessidade, é preciso envolver um auditor externo para resolver o imbróglio. No caso da aplicação de glosas em auditoria do SUS, há um documento oficial que rege a prática e que deve ser seguido para que esteja de acordo com a legislação.

Linear

A glosa linear ocorre a partir de questionamentos da operadora de saúde que levam em conta critérios particulares e que devem ser analisados caso a caso. Na maior parte das vezes, está relacionada a valores de medicamentos, procedimentos e outras atividades voltadas ao atendimento médico.

Por exemplo, se o custo de um remédio tem discrepância em relação ao seu valor de mercado, pode haver um questionamento por parte da operadora antes que o pagamento seja autorizado.

Como prevenir glosas na clínica ou hospital?

As glosas dão uma dor de cabeça e tanto nos profissionais e instituições ligadas à saúde. A boa notícia é que há diversas medidas que podem ser tomadas para preveni-las. Veja algumas dicas!

1. Treine seu time

O primeiro passo para evitar as temidas glosas é realizar cada etapa do trabalho da forma mais correta possível. Para isso, nem tudo pode ficar na mão do profissional de saúde. Contar com um time bem treinado é fundamental para minimizar as chances de problemas com pagamentos.

No caso dos consultórios, as secretárias devem estar cientes da responsabilidade de seu trabalho e, é claro, executá-lo com a máxima cautela e precisão. Em laboratórios, desde a recepção até a realização de exames por profissionais de saúde, isso também vale.

Mais do que um bom atendimento ao paciente durante os procedimentos, o correto preenchimento de documentos, prontuários médicos, fichas (com as de anamnese), guias (como a SADT) e prescrições é essencial para evitar problemas administrativos.

2. Emita prescrições para os procedimentos

Médicos e outros profissionais de saúde também têm responsabilidade no que diz respeito à prevenção de glosas. Afinal, a emissão de prescrições nos padrões adequados e de acordo com as normas é essencial.

3. Tenha controle dos procedimentos realizados

Contar com a tecnologia para fazer o controle dos procedimentos realizados, laudos médicos e outros documentos é essencial. Um bom prontuário eletrônico que também ofereça essa funcionalidade pode ajudar nesse trabalho.

Inclusive, algumas soluções do mercado, como o Prontmed Hub, contam com campos de “justificativa” em pedidos de exame, para que os profissionais de saúde possam incluir os motivos pelos quais os solicitaram.

4. Evite erros de digitação e revise o conteúdo de um documento antes de submetê-lo

Como vimos anteriormente, a mera digitação errada do número de um documento do paciente ou outro código pode gerar uma glosa. A atenção durante o preenchimento e a revisão do que foi escrito é essencial para evitar atrasos e prejuízos.

5. Faça auditorias frequentes

A realização de auditorias é outro passo essencial para a prevenção de glosas. Registrar internamente as informações de forma correta e ordenada é fundamental, mas se houver erros, os prejuízos podem ser consideráveis. Por isso, auditar a documentação e processos realizados pelo time é tão importante.

6. Fique atento às atualizações da ANS

A Lei 13.003, de 24 de junho de 2014, rege a relação entre planos e seguros de saúde privados e prestadores de serviços do segmento. No entanto, a legislação pode passar por alterações de tempos em tempos. A própria Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) também pode promover mudanças nas leis. Portanto, é fundamental ficar de olho para evitar a geração de glosas em função dessas atualizações.

7. Descreva os procedimentos de forma completa

É importante ser bem detalhista na hora de preencher dados que possam provocar glosas. Afinal, quanto mais detalhada for uma prescrição, receita, laudo ou outro documento, menores as chances de haver uma má interpretação ou reprovação de um procedimento por parte das operadoras de saúde.

8. Use os recursos do seu prontuário eletrônico

Além de facilitar o preenchimento e a correção de dados, na comparação com sua versão em papel, o prontuário eletrônico ajuda a economizar espaço físico, otimiza processos e garante a integridade dos dados. O próprio faturamento pode ser realizado pelo software médico.

Chegamos ao fim deste artigo, no qual falamos sobre esse tema que é bastante delicado, mas que faz toda a diferença no dia a dia de profissionais e estabelecimentos de saúde: as glosas. Afinal, é muito importante evitar que elas aconteçam para que o trabalho realizado seja remunerado de forma correta, sem atrasos ou prejuízos.

Gostou do artigo? Compartilhe com outros profissionais de saúde pelas redes sociais ou WhatsApp!

Escrito por
Marketing Prontmed

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.