Como garantir a continuidade do cuidado e a navegação do paciente por meio da tecnologia?

Compartilhe:
Como garantir a continuidade do cuidado e a navegação do paciente por meio da tecnologia?
A continuidade do cuidado é um dos desafios estratégicos dos gestores de saúde. Saiba como a tecnologia pode ajudar.

Sumário

A continuidade do cuidado é um dos grandes desafios da saúde. Durante a consulta, muitos pacientes são orientados a realizar exames ou outros procedimentos por seus médicos. No entanto, nem sempre as recomendações são seguidas como deveriam.

Além de prejuízos para a própria saúde do paciente — com risco de agravamento de doenças — isso também traz problemas para as instituições do setor, como os hospitais, e para as operadoras de saúde suplementar.

A tecnologia está aí para ajudar os gestores de saúde a superar esses obstáculos. Um prontuário com dados estruturados oferece suporte à navegação do paciente, estimulando-o a dar sequência aos seus tratamentos e, claro, a melhorar desfechos clínicos e a reduzir custos.

Leia o artigo para saber mais sobre o assunto e entender como o Prontmed Hub ajuda na gestão da continuidade do cuidado!

A continuidade do cuidado sob a ótica dos hospitais

A navegação do paciente e a continuidade do cuidado, sob o ponto de vista dos hospitais, tem algumas particularidades a serem levadas em conta. Essas instituições são provedoras de serviços de saúde e, como tal, integram uma parte da jornada do paciente.

Esse “momento” em que o hospital está presente na vida do paciente varia: ele pode ocorrer no começo, no meio ou no final de um tratamento. Também pode acontecer de forma recorrente — os pacientes que fazem hemodiálise são um exemplo.

Sob um olhar mais voltado à gestão e sustentabilidade dos hospitais, é importante que as instituições estejam presentes na vida dos pacientes de forma constante. Um exemplo: quando um bebê nasce, é interessante para a instituição que o acompanhamento da saúde da criança continue sendo realizado por meio dos serviços oferecidos pelo mesmo hospital ou parceiros; ou, ainda, se houver algum problema de saúde, o ideal é que a família busque a instituição novamente para tratá-lo.

Ou seja, mais que um provedor de serviços de saúde, os hospitais precisam ser vistos como centros de excelência, como instituições de confiança da população. Aí entram os conceitos de referência e contrarreferência (saiba mais aqui), que estão relacionados a essa percepção dos hospitais como locais onde qualquer atendimento pode ser realizado — tanto os mais simples quanto aqueles mais complexos — dentro de uma rede controlada, com acompanhamento real da jornada do paciente.

“O hospital tende a direcionar o paciente para sua rede de parceiros, como centro de referência que é. Para isso, é preciso ter uma conectividade, garantindo que os dados transitem e o hospital proporcione a continuidade do cuidado”, detalha Lasse Koivisto, CEO da Prontmed.

A navegação do paciente na visão das operadoras

Se os hospitais desejam se manter como a principal instituição onde os pacientes buscam atendimento, as operadoras têm um olhar um pouco diferente. Para os planos de saúde, também é muito importante garantir o acesso aos serviços aos seus clientes. Mas, ao mesmo tempo, é fundamental se certificar a respeito da sustentabilidade financeira do negócio.

Uma das formas de fazer isso é por meio do ganho de escala. Um exemplo: pacientes atendidos de forma concentrada por alguns laboratórios. Pelo ganho de volume e redução da ociosidade, os laboratórios conseguem oferecer descontos, que reduzem os custos das operadoras.

É aí que entra, mais uma vez, o papel da tecnologia — especialmente do sistema de prontuário eletrônico. “Quando você consegue ter um sistema que capta informações de saúde do paciente e, com base nessas informações, você entrega uma experiência muito melhor, ele naturalmente vai acabar optando por esse serviço”, acredita Koivisto.

Além dos benefícios aos pacientes, as operadoras também ganham com a redução de custos e melhora dos desfechos clínicos.

Como o Prontmed Hub ajuda na continuidade do cuidado

O Prontmed Hub, prontuário eletrônico da Prontmed, conta com funcionalidades que apoiam gestores de hospitais e de operadoras na continuidade do cuidado e na navegação do paciente. Veja como isso ocorre no dia a dia.

Referência e contrarreferência

Durante o atendimento ao paciente, o profissional de saúde pode fazer o encaminhamento para outros profissionais, laboratórios e instituições por meio do prontuário. Dessa forma, o gestor pode configurar o Prontmed Hub para que uma rede de preferência receba essas indicações. Assim, o conceito de referência e contrarreferência ocorre na prática.

Proatividade na continuidade do cuidado

Com os dados estruturados disponíveis no Prontmed Hub, fica mais fácil fazer a navegação do paciente. Após a consulta, as equipes das instituições podem direcionar as pessoas que tiveram um primeiro atendimento para que deem continuidade ao cuidado.

Se exames foram solicitados, essa informação fica disponível para a instituição via prontuário. Assim, é possível entrar em contato com o paciente para estimulá-lo a, de fato, realizar os exames prescritos, por exemplo.

“A instituição passa a ter a capacidade de agir logo na saída da consulta do paciente e direcioná-lo para o serviço que ele precisa consumir, o que ajuda na adesão ao tratamento, reduz custo, melhora a receita da instituição, entre outros benefícios”, finaliza o CEO da Prontmed.

Sabemos que a continuidade do cuidado e a navegação do paciente estão entre os principais desafios dos gestores, tanto para garantir a experiência do paciente quanto a saúde da população e a sustentabilidade financeira. Assim, fazer esse acompanhamento com o suporte da tecnologia e dos dados estruturados se torna estratégico.

Ficou interessado em saber mais? Entre em contato com nossa equipe para saber mais sobre as soluções da Prontmed para gestão de saúde.

Marketing Prontmed

Marketing Prontmed

Deixe um Comentário:

Conteúdo relacionado

17 de janeiro de 2023
A continuidade do cuidado é um dos desafios estratégicos dos gestores de saúde. Saiba como a tecnologia pode ajudar.
10 de janeiro de 2023
Reações adversas a interações medicamentosas podem ser evitadas com suporte da tecnologia
3 de janeiro de 2023
Confira as principais tendências apontadas por especialistas na área da saúde para o ano que está começando!