Atendimento preferencial no consultório: o que diz a lei e como receber pacientes?

Compartilhe:
Atendimento preferencial no consultório: o que diz a lei e como receber bem os pacientes?
Não há obrigação de oferecer atendimento preferencial em consultórios particulares, mas é importante garantir o bem-estar dos pacientes.

Sumário

O atendimento preferencial é lei no Brasil em uma série de estabelecimentos. De acordo com o Artigo 1º da Lei 10.048/2000, “as pessoas com deficiência, os idosos com idade igual ou superior a 60 anos, as gestantes, as lactantes, as pessoas com crianças de colo e os obesos terão atendimento prioritário” nos locais mencionados no texto.

Os consultórios médicos não se enquadram no que diz a legislação. Ainda assim, muitos profissionais de saúde buscam dar prioridade de atendimento a alguns pacientes, a partir de critérios específicos — estado de saúde, idade, dificuldade de locomoção, entre outros fatores.

Neste artigo, vamos detalhar o assunto e trazer algumas dicas a respeito de como colocar o atendimento preferencial em prática no consultório. Para começar, vamos saber mais sobre o que diz a lei.

Confira no próximo tópico!

O que diz a lei a respeito de atendimento preferencial?

A lei estabelece que uma série de instituições públicas (como repartições, empresas concessionárias de serviços públicos e de transporte coletivo), além de instituições financeiras, logradouros e sanitários públicos devem oferecer atendimento preferencial para diversos grupos.

Pessoas com deficiência, idosos, gestantes, lactantes, pessoas com crianças de colo e obesos deverão receber atendimento prioritário e/ou contar com adaptações para que sejam bem recebidos nesses ambientes.

Os consultórios médicos particulares não fazem parte do rol de instituições abordadas na lei. Mas isso não impede que os profissionais de saúde estabeleçam critérios para melhor atender seus pacientes, especialmente por se tratar de um ambiente em que o bem-estar é essencial.

Como aplicar o atendimento preferencial no consultório?

A maior parte dos consultórios particulares adotam o agendamento médico e horários definidos para o atendimento aos pacientes. No entanto, há casos em que o atendimento ocorre por ordem de chegada, ou ainda ocorrem encaixes que deixam o dia a dia mais atribulado.

Veja a seguir algumas situações em que aplicar o atendimento preferencial é interessante nos consultórios médicos!

Idosos

Naturalmente contemplados pela legislação, os pacientes idosos também podem ter preferência na hora de serem atendidos por profissionais de medicina — seja em consultórios, clínicas ou laboratórios. O problema é quando se trata de uma instituição de saúde em que os pacientes acima de 60 anos compõem a maioria (ou até mesmo a totalidade) dos casos.

Nessas situações, uma boa alternativa é estabelecer critérios como a idade ou o estado de saúde do paciente para atendimento prioritário. É fundamental, ainda, agendar as consultas com intervalos maiores, para evitar atrasos e garantir que o tempo de espera não será excessivo.

Gestantes

As gestantes também devem ter prioridade no consultório médico, em função de estarem em um momento que exige mais cuidados. Mais uma vez, no caso de obstetras, ginecologistas e outros profissionais que atendem muitas pacientes grávidas, é preciso estabelecer critérios mais definidos, como tempo de gestação ou condições gerais de saúde da mulher.

Assim como o atendimento aos idosos, ter bom senso na definição da agenda, para evitar muito tempo de espera, também é recomendado neste caso.

Estado geral de saúde do paciente

Outro critério que pode ser usado para definir a prioridade do atendimento em consultório é o estado geral de saúde do paciente. Pessoas com deficiência, pacientes com dificuldades de locomoção e/ou que estejam passando por sintomas debilitantes podem ter preferência. Afinal, essas são condições que diminuem a tolerância ao tempo de espera.

Ainda que o consultório costume atender com hora marcada, caso uma situação de urgência com pacientes em crise surja, também é recomendável dar a preferência ao seu atendimento.

De que forma a tecnologia pode ajudar no atendimento preferencial?

A tecnologia pode ser uma aliada e tanto na hora de promover o atendimento preferencial no consultório. Confira alguns recursos que já estão disponíveis e que podem fazer a diferença na satisfação dos pacientes.

Módulo de agendamento no prontuário eletrônico

Contar com um bom software médico, como um prontuário eletrônico que tenha módulo de agendamento, é uma excelente forma de organizar as prioridades no consultório. Esse tipo de funcionalidade ajuda a encontrar horários disponíveis na agenda de forma automática, e até mesmo criar agendas múltiplas — que podem separar os pacientes prioritários em uma “fila” dedicada.

Telemedicina

Outra forma de facilitar o atendimento a pacientes que demandam um cuidado especial é oferecer consultas via telemedicina. Quer algo mais humanizado do que permitir a um paciente idoso, gestante ou com dificuldades de locomoção um atendimento médico no conforto da sua casa?

Sendo viável a avaliação clínica por teleconsulta, essa se torna uma opção das mais interessantes para quem deseja priorizar a experiência e qualidade de atendimento aos pacientes.

Nosso artigo sobre atendimento preferencial no consultório termina por aqui, mas há muito mais a ser dito sobre esse e outros temas relacionados à gestão de agenda, experiência do paciente e atendimento humanizado.

Leia nosso artigo com 8 razões para escolher um prontuário digital com agenda integrada para ampliar seus conhecimentos!

Marketing Prontmed

Marketing Prontmed

Deixe um Comentário:

Conteúdo relacionado

2 de agosto de 2022
Comemorado todo dia 5 de agosto, o Dia Nacional da Saúde é um ótimo momento para refletir sobre os avanços da área.
26 de julho de 2022
Terminologias médicas padronizadas permitem criar campos estruturados no PEP, o que traz benefícios para médicos, empresas e pacientes.
19 de julho de 2022
A hipertensão arterial sistêmica (HAS) é uma das doenças mais prevalentes na população. Por isso, todo profissional de saúde deve ficar atento.