Chat
Retornar

Atendimento humanizado na área da saúde: o que fazer e o que não fazer?

Muito se fala em atendimento humanizado, tanto na área da saúde quanto em outros segmentos do mercado. Em princípio, isso pode parecer um contrassenso, já que a tecnologia vem automatizando uma série de processos para agilizar o dia a dia de profissionais e de seu público. Mas você já parou para pensar que é justamente essa tecnologia que pode tornar o relacionamento com as pessoas mais focado naquilo que importa?

Neste post, vamos aprofundar um pouco mais esse tema. Primeiro, vamos conceituar atendimento humanizado na saúde e, na sequência, falar de seus benefícios para profissionais e pacientes. Para finalizar, vamos falar sobre o que fazer e o que não fazer na hora de propor uma relação mais humana no consultório.

Esperamos que goste do conteúdo. Comece a ler agora mesmo!

Mas o que é um atendimento humanizado?

Olhando sob a perspectiva do mercado consumidor, atendimento humanizado é aquele que se preocupa não apenas em resolver o problema de um cliente. O foco é fazer isso de forma cuidadosa, empática e personalizada. Em vez de seguir um script padrão para realizar uma venda, esse tipo de atendimento procura ir além. Primeiro, é preciso entender as reais necessidades das pessoas para oferecer a melhor solução.

Na área da saúde, o atendimento humanizado se caracteriza pela personalização do serviço prestado, pelo olhar atento à individualidade do paciente e pela busca em oferecer as respostas que melhor atendem às suas necessidades. Mais do que uma recomendação médica de qualidade, embasada em fatos científicos, esse atendimento propõe soluções que consideram o impacto que o tratamento terá na vida do paciente, procurando minimizar seu sofrimento.

Pode até parecer estranho falar em “atendimento humanizado” na área da saúde — afinal de contas, toda relação médico/paciente parte desse pressuposto. Há algo mais humano do que prestar um serviço focado no bem-estar de alguém? Ainda assim, com o avanço tecnológico e o surgimento de exames e procedimentos cirúrgicos cada vez mais sofisticados, estudiosos da área vem se debruçando sobre uma possível diminuição da presença do elemento humano em procedimentos e até mesmo em consultas médicas.

O próprio avanço da telemedicina, muitas vezes, é apontado como uma forma de afastar ainda mais os profissionais de saúde dos pacientes, impossibilitando assim a plena realização de um atendimento, em teoria, mais “humanizado”. Mas será que isso é verdade? Continue a leitura para saber mais!

Quais os benefícios do atendimento humanizado?

O atendimento humanizado não traz vantagens apenas para os pacientes, mas também para os profissionais de saúde que estiverem dispostos a investir nele. Confira a seguir como essa ideia oferece uma relação ganha-ganha!

Benefícios para o profissional de saúde

Profissionais de saúde que atuam em consultório ou mesmo clínicas e empresas do setor se beneficiam do atendimento humanizado. Afinal, a satisfação de seus pacientes aumenta. Usuários de serviços de saúde felizes tendem a ser mais fiéis e, além de eles mesmos retornarem no futuro, também se tornam promotores da marca — ou seja, recomendam seu trabalho para outras pessoas.

Especialmente no caso de clínicas e outras empresas que prestam serviços de saúde, pacientes mais felizes e satisfeitos tendem a facilitar o processo de atendimento, o que promove maior bem-estar também entre as equipes que lá atuam. Esses profissionais também passam a trabalhar com mais tranquilidade, aumentando o engajamento e o sucesso do tratamento.

Vantagens para os pacientes

Os pacientes são, sem dúvida, os principais beneficiados de um atendimento mais humanizado. Diante de um problema de saúde que, por si só, já é algo difícil de lidar, contar com a atenção dos profissionais em cada detalhe faz muita diferença. Some-se a isso o impacto emocional que uma doença pode provocar, e a necessidade de humanização do atendimento se torna ainda mais evidente.

Como oferecê-lo aos pacientes?

Vimos que, na teoria, o atendimento humanizado traz benefícios para todos os envolvidos. Mas, na prática, como fazer com que ele se materialize? Acompanhe algumas dicas!

Ter empatia com cada paciente

Na correria do dia a dia, é natural que os profissionais de saúde busquem resolver as diversas situações com que se deparam da forma mais rápida e eficiente possível. No entanto, não se deve esquecer jamais que, do outro lado, há uma pessoa que não está habituada a ambientes hospitalares, ou até mesmo a fazer exames e consultas médicas com tanta frequência. Sem falar nos seus outros problemas particulares.

Por isso, ser empático com os pacientes — isto é, colocar-se no lugar deles — é fundamental. Assim, pode-se entender o que faz a diferença na hora de oferecer um atendimento mais humano.

Propor alternativas de canais de atendimento e tratamentos

Dar opções para que o paciente participe da decisão sobre seu tratamento de saúde, sempre que possível, também é uma característica do atendimento humanizado. Soluções de “tamanho único” nem sempre são adequadas a todos os casos. Por isso, ter um olhar sensível e solidário às necessidades de cada paciente pode fazer toda a diferença.

Isso começa já na hora da consulta. Por que não oferecer um atendimento via telemedicina para pacientes com dificuldade de locomoção, por exemplo? Ou mesmo para pacientes que vivem em outra cidade? Esse é um bom exemplo de como a tecnologia pode oferecer esse olhar humanizado para cada caso.

Manter registros detalhados e organizados

Ter acesso ao histórico do paciente, de forma organizada e com detalhes que ajudam a entender a situação pela qual ele ou ela está passando naquele momento, é fundamental para um atendimento mais personalizado. Afinal, esse é um dos principais pontos da humanização na saúde.

Mais uma vez, a tecnologia pode ser uma aliada para atingir esse objetivo. O prontuário eletrônico disponibiliza aos profissionais de saúde acesso a todo o histórico dos pacientes a poucos cliques de distância, com toda a segurança e facilidade de uso que um prontuário de papel não consegue oferecer.

Otimizar o tempo de espera

Organizar os horários e os ciclos de atendimento para que os pacientes não precisem ficar aguardando por longas horas — seja em consultório, clínica, laboratório ou hospital — também é ter um olhar humanizado.

Mais uma vez, um prontuário eletrônico com agenda integrada — e a possibilidade de se comunicar com o paciente em caso de remanejamento de horários — é uma ajuda e tanto para o profissional de saúde que deseja oferecer um atendimento mais humano.

Garantir acesso a dados com segurança

Possibilitar que o paciente tenha acesso a dados e informações acerca de seu estado de saúde também é oferecer um atendimento humanizado. A tecnologia pode facilitar esse processo, por meio da hierarquização das informações no prontuário eletrônico e sua capacidade de compartilhar dados tanto com o próprio paciente quanto com outros profissionais que venham a atendê-lo futuramente — tudo de acordo com o que manda a LGPD, é claro.

O que não se deve fazer no atendimento humanizado

Depois de conhecer as dicas sobre o que fazer para oferecer um bom atendimento humanizado, também é importante deixar claro o que se deve evitar para garantir o bem-estar dos pacientes. Acompanhe!

Tratar todos os pacientes da mesma forma

O atendimento personalizado, levando em conta as características, condições e hábitos do paciente — e não apenas seus sintomas — é um dos principais aspectos da humanização da saúde. Por isso, usar a mesma fórmula para tratar pacientes diferentes pode não ser a melhor forma de proporcionar o olhar humanizado que as pessoas esperam de um profissional de saúde. A medicina integrativa também vem ganhando força e ajudando neste aspecto.

Impedir o acesso a informações

Esconder informações ou dificultar o acesso a dados do paciente também é uma prática pouco recomendada para quem busca oferecer um atendimento humanizado. É claro que há situações em que o paciente pode se abalar emocionalmente caso saiba de pormenores a respeito de sua condição de saúde. Fora esses casos em que realmente pode ser benéfico não detalhar determinadas informações, a transparência é sempre recomendada.

Dificultar o acompanhamento de familiares

O apoio da família é fundamental na recuperação dos pacientes. Por isso, dar o espaço adequado para que as pessoas participem do tratamento e ofereçam o suporte necessário ao parente adoecido é essencial no atendimento humanizado.

Ignorar a necessidade de treinamento da equipe

Seja a secretária de um pequeno consultório, seja a equipe de uma clínica de maior porte, todos os profissionais que fazem parte de um time focado no atendimento em saúde devem estar preparados para oferecer um serviço humanizado. Desde a chegada ao local do atendimento até o momento da alta do paciente, sentir-se acolhido é muito importante na busca pela cura.

Esperamos ter esclarecido o conceito de atendimento humanizado em saúde e como fazer para oferecê-lo no seu dia a dia. Cada vez mais os pacientes têm buscado profissionais capacitados tanto tecnicamente quanto do ponto de vista da humanização, com um olhar mais completo para seu estado de saúde e um cuidado com seu bem-estar em todos os momentos.

Se você gostou do que leu, que tal compartilhar esse post nas suas redes sociais? Pode ser que seus colegas de profissão estejam interessados em saber mais sobre atendimento humanizado também!

Escrito por
Marketing Prontmed

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *