Muitas vezes, no consultório, ao prescrever um medicamento os médicos pensam se devemos receitar o medicamento de referência, o genérico ou o similar e, tipicamente acabam prescrevendo o de referência para casos de maior complexidade e o genérico em casos mais simples, esquecendo-nos, muitas vezes, dos medicamentos similares. Entenda as diferenças entre medicamentos de referência, genérico e similar.

Medicamento de referência é um medicamento inovador e possui uma patente que determina um período específico de exclusividade sobre a comercialização. Este período, que pode durar até 20 anos, leva em conta a recuperação do investimento feito na pesquisa e desenvolvimento do medicamento. Após esse prazo, outras indústrias podem produzir medicamentos genéricos e/ou similares, tendo como base de comparação, o medicamento de referência.

Genérico é um medicamento que possui o mesmo princípio ativo, com a mesma dosagem e forma farmacêutica, cuja forma de administração é pela mesma via, com mesma posologia e indicação terapêutica do medicamento de referência. Esses medicamentos não possuem marca (nome) e, por isso, em suas caixas aparece o nome do princípio ativo. Para que um medicamento seja considerado genérico, são realizados diversos estudos, in vitro e in vivo, garantindo segurança e eficácia iguais às do de referência, o que permite a substituição do medicamento de referência pelo genérico.

Medicamento similar é um medicamento que possui o mesmo princípio ativo, com a mesma dosagem e forma farmacêutica, cuja forma de administração é pela mesma via, com mesma posologia e indicação terapêutica do medicamento de referência, podendo diferir deste em características como prazo de validade, tamanho, forma, embalagem, rotulagem, excipiente e veículo. Todo similar é indicado por um nome comercial ou marca e também precisa passar por testes in vitro e in vivo, que comprovem sua similaridade ao medicamento de referência. Desde janeiro de 2015, todo medicamento similar que apresente os mesmo testes de equivalência que o genérico deverá apresentar na bula a informação de que é intercambiável com o de referência e pode ser oferecido pelo farmacêutico como substituto do medicamento de referência prescrito pelo médico.

Tem alguma dúvida? Fale com a gente.