Recentemente, têm-se falado muito sobre a utilização de aspirina como medida preventiva em relação à diferentes tipos de câncer. Diversos estudos provaram que sua utilização diária em doses baixas (entre 75 e 325 mg), por um período mínimo de 5 anos pode diminuir a incidência de tumores, principalmente em pacientes acima dos 50 anos.

Em 2014, cientistas da Universidade de Queen Mary (Londres), publicaram um artigo de revisão em que analisaram os benefícios da utilização de aspirina como medida profilática em geral. Esse estudo mostrou que a incidência de tumores reduziu após 3 anos de tratamento com aspirina e a taxa de mortalidade foi reduzida após 5 anos de tratamento, mantendo-se assim durante o tempo de duração do follow-up dos estudos. Os casos de câncer colorretal, de esôfago e estômago chegaram a reduzir de 30 a 40% após a utilização de aspirina porém, benefício da aspirina em relação aos câncer de mama, próstata e pulmão ainda são incertos. Não há indícios de que o aumento da dose diária provoque maior redução na incidência e mortalidade nesses casos.

É importante ressaltar que a aspirina, por ser um AINE, pode causar diversos eventos adversos, sendo que os mais comuns são hemorragias e distúrbios do trato gastro intestinal. O estudo mostrou que o evento adverso mais importante é o aumento na incidência de hemorragias, sendo que a extracraniana, principalmente gastrointestinal, foi a mais observada. Embora raros, houveram casos de infarto hemorrágico e foi descoberto que complicações gastrointestinais aumentam à partir dos 70 anos. Não é relatado nesses estudo um período de tempo específico pelo qual a aspirina deva ser tomada, nem a idade em que deve ser interrompido o uso.

Em 22 de outubro de 2015, foi anunciada a realização de um grande estudo, envolvendo cerca de 11.000 pacientes em 100 centros de pesquisa clínica no Reino Unido. Esse estudo terá duração de 12 anos e seu objetivo é estudar pacientes que tiveram câncer de intestino, esôfago, estômago, mama e próstata quanto à recorrência desses cânceres usando diferentes doses de aspirina em relação ao placebo.